Regragui quer atrair investidores para o Operário e Lagoa

O franco marroquino Mohamed Regragui vai ser o responsável pelas relações internacionais do Clube Operário Desportivo e, para além de vir a ser um dos responsáveis pela chegada de alguns atletas ao plantel dos fabris, vai ter ainda a tarefa de captar, para o clube e para o concelho da Lagoa, investimento privado.

Catorze anos depois da sua passagem pela Lagoa (o atleta, então com 22 anos, vestiu a camisola fabril na temporada 2002/2003, tendo chegado à Lagoa pela mão do empresário Jorge Mendes), Regragui regressou para se tornar um parceiro no desenvolvimento desportivo do Operário, para além de estar incumbido de captar investidores que possa permitir ao clube realizar novos investimentos, tendo em vista uma eventual subida aos campeonatos profissionais portugueses.

Para já, e em declarações ao Açoriano Oriental, o médio que nasceu em Ahrfir (Marrocos) mas com nacionalidade francesa, vai já no decorrer do mês de maio promover um encontro com empresários portugueses em França para que possa identificar e captar futuros investidores para o clube da cidade da Lagoa mas, ao mesmo tempo, permitir que também possa ocorrer investimento económico na cidade da Lagoa. Nesse sentido, Regragui vai dar a conhecer o programa “Lagoa Investe”, um documento orientador que procura atrair investidores e investimento para o concelho, com benefícios tanto para quem investe como também para o local onde o investimento será realizado.

“Sem investimento no clube não podes sonhar muito alto. No futebol todos os sonhos são realizáveis mas para que tal aconteça é preciso que haja investimento, capital, para que este mesmo sonho seja uma realidade”, sublinhou o também agente de jogadores.

Para o plantel do Operário, época 2017/2018, Regragui vai trazer três atletas para cada posição do campo: “um defesa, um médio e um avançado. Jogadores de qualidade técnica e tática mas grandes homens fora do campo. Esses são valores que exijo nos jogadores que represento. Atletas jovens que serão mais-valias desportivas para a equipa e que podem vir a gerar receitas para o clube. Para já a única posição na equipa que está muito bem servida é a baliza. Não preciso trazer alguém para esta posição”, sublinhou o jogador que em Portugal foi treinado por Jorge Jesus no Vitória de Setúbal (2000/2001) na II Liga, tendo ainda representado a União de Leiria e Marinhense. Em França jogou pela equipa B do Paris Saint-Germain, Paris FC, Racing Paris e Aubervilliers, para além de uma experiência no Vietname e no Bangladesh, tendo terminado a carreira de jogador aos 27 anos de idade.

Regragui tem formação em Coaching de atletas (função na qual trabalhou durante três anos em França) e foi comentador desportivo dos jogos da I Liga portuguesa, durante três épocas, no canal desportivo francês de origem portuguesa MCS. O antigo médio revelou, ainda, um profundo conhecimento dos campeonatos de futebol em Portugal (seja os de âmbito da Liga como o da Federação), tendo nos últimos dias efetuado várias observações das equipas da formação do Operário, onde detetou “bons jogadores, de grande qualidade”, atletas que vão ser potenciados pelo clube e por Regragui nos próximos quatro anos.

In AO, por: Arthur Melo

Share