Futsal sénior do Operário pode acabar

O presidente do Clube Operário Desportivo é da opinião que a criação da Série Açores da segunda divisão nacional, em Futsal, vai penalizar a equipa da Lagoa.

Gilberto Branquinho, em declarações à RTP Açores, considera que a decisão não está tomada, mas o Operário poderá não inscrever a sua equipa na prova.

O presidente do Operário está contra o novo modelo que passa a ser tutelado pela Federação Portuguesa de Futebol e que irá retirar aos fabris cerca de 38 mil euros da secretaria regional do turismo pela utilização da palavra Açores.

Gilberto Branquinho diz que esta decisão das três associações de futebol dos Açores é uma fórmula impropria para a ascensão da modalidade.

Recorda o presidente do clube da Lagoa que quando a equipa militou na I Divisão, há quatro épocas,  foi-lhe retirado cerca de 65% ao apoio pela utilização da palavra Açores o que prejudicou a manutenção dos fabris no escalão máximo onde permaneceu duas épocas. As últimas épocas os fabris disputaram a II Divisão do nacional de futsal.

 

Share