Categoria: Destaque

André Branquinho reage às críticas sobre a carreira do Operário nesta época (CA)

A carreira do Operário neste Campeonato de Portugal de futebol não tem sido famosa. Apenas uma vitória, 4 empates e 4 derrotas, com 9 golos marcados e 18 sofridos. Os 7 pontos colocam a equipa na 13.a posição na série “E” entre 16 clubes. Está em zona de descida e logo num ano em que baixam 6 equipas. Os sócios e os adeptos do Operário não estão habituados a este cenário. Ao longo das últimas 10 épocas, pelo menos, têm visto a equipa sempre bem classificada e sempre na luta pela subida de divisão.

Depois de Francisco Agatão, tem sido André Branquinho o responsável técnico pelos feitos. Estava o treinador na mó de cima. Agora é criticado, principalmente nas redes sociais, esta grande arma que é utilizada por muitos cidadãos para manifestarem a opinião e a ira. No contacto de antevisão sobre o importante jogo desta tarde com o Estrela de Vendas Novas, começamos por perguntar como André Branquinho tem lidado com as críticas, já que não têm sido habituais.

De uma forma muito tranquila e consciente porque a vida dos treinadores é feita pelos resultados alcançados. Os adeptos têm o direito a criticar e a opinar, mas pecam por defeito as que surgem dos que não são sócios do clube. Os adeptos que são sócios têm voto na matéria e temos de os ouvir quando estão insatisfeitos. Mas, por outro lado, precisamos que ajudem o clube. Toda a gente tem direito à opinião, agora é preciso sabermos filtrar porque há opinião boa e há opinião que nem vale a pena ler.

Para mim é muito simples. Ao longo da minha vida, até aos 27 anos de idade, morei ao lado de uma salsicharia e nunca opinei sobre a forma de fazer morcelas e chouriços porque não percebo nada daquilo. Quero com isso dizer que a maioria das opiniões dos adeptos é igual àquela que tinha sobre o trabalho do talhante em preparar os produtos na salsicharia.

Tudo isso faz parte do futebol. Os médicos, os advogados e as pessoas de outras categorias profissionais opinam sobre o futebol. Nós, os treinadores, não podemos opinar sobre advocacia, nem medicina ou turismo porque não somos licenciados na matéria.

Frente ao Estrela de Vendas Novas não pode o Operário desperdiçar a oportunidade de ganhar a uma equipa que só venceu uma vez e que tem menos 1 ponto?
É verdade. A nossa ambição passa por vencer a próxima partida. Sabemos que não estamos numa posição favorável, não é aquela que gostaríamos de estar.

Como treinador estou tranquilo. Sei muito bem para onde queremos ir, sei o caminho que estamos a atravessar, sei do processo para a equipa assimilar as minhas ideias e que os jogadores ainda não tin-giram aquilo que eu pretendo. Estamos a caminhar para melhorar e vamos continuar com a ambição de vencer o próximo jogo, numa forma tranquila e consciente de que estamos a fazer tudo para mudar o rumo dos acontecimentos.

O objectivo passa por vencer um adversário directo, procurando distanciarmo-nos somando pontos para subirmos alguns lugares na tabela classificativa. Acreditamos que no final da época iremos atingir os objectivos.

Está à procura de mais algum elemento para a equipa, principalmente para o setor defensivo, que tem sido muito alterado devido às lesões?
Os plantéis das equipas estão sempre abertos até Fevereiro, principalmente nesta divisão. Só para as equipas das provas profissionais é que fecharam, reabrindo durante o mês de Janeiro. Estamos sempre abertos e à procura de boas soluções a nível qualitativo e a nível financeiro para o clube, porque temos um orçamento muito rigoroso. Se surgir uma oportunidade muito bem. Como sempre digo, o plantel está sempre aberto para entradas e para saídas.

(Correio dos Açores)

Share

Operário vence em Moncarapacho

A equipa principal do Operário alcançou, este domingo, dia 22 de outubro, a sua primeira vitória no Campeonato de Portugal.

Na partida referente à 7ª jornada da Série E, os fabris deslocaram-se até ao Algarve, para defrontar o Moncarapachence, tendo vencido a partida por 1-2.

“Foi uma vitória justa, principalmente pela ‘excelente’ segunda parte”, adiantou, ao Jornal Diário da Lagoa, o treinador dos fabris.

Segundo André Branquinho, a primeira parte foi mais dividida, onde o adversário chegou primeiro ao golo, naquela que considerou ser uma das poucas chances que teve.

O Operário foi para o intervalo a perder pela margem mínima mas, segundo o treinador lagoense, nessa altura a equipa da Lagoa já merecia um golo.

A segunda parte foi completamente diferente onde, apenas aos 35 minutos do segundo tempo, o adversário conseguiu chegar á baliza fabril. “Estivemos os primeiros 35 minutos da segunda parte no meio campo ofensivo, com a equipa teve uma atitude muito forte, com uma ambição enorme de querer vencer, forçamos o erro do adversário, fizemos circular a bola em toda a largura do terreno, e acabamos por ser premiados pela vitória com dois golos já no final da partida”, explicou André Branquinho.

O técnico referiu ainda que a vitória do Operário poeria ter sido conseguida mais cedo, mas do outro lado estava também um adversário forte, com jogadores de muita qualidade.

A equipa ganha assim um novo ânimo, com índices de confiança maiores. André Branquinho espera agora conseguir entrar numa série de vitórias até porque, segundo recorda, este é um campeonato muito difícil e muito competitivo. “Há muitas equipas em igualdade pontual, será até à última jornada, onde todas as vitórias e todos os pontos serão importantes”.

Ao fim da sétima jornada o Operário ocupa 9ª posição e, a par de outras 4 equipas, tem sete pontos.

No próximo dia 29 de outubro, o Operário recebe, na Lagoa, o Pinhalnovense, em jogo da 8ª jornada.

Fonte: DL

Share

Operário está na 3ª eliminatória da Taça de Portugal Placard

A equipa do Clube Operário Desportivo garantiu a passagem à 3ª eliminatória da Taça de Portugal Placard, com a vitória por 2-3 frente ao S.C. Guadalupe.

No encontro disputado na ilha da Graciosa, os fabris foram mais fortes tendo mesmo ido para intervalo a vencer por 0-2, com golos de Chileno e Camará, embora, segundo André Branquinho, pelo trabalho realizado pelos seus jogadores, o resultado poderia ter sido ainda mais dilatado.

No segundo tempo Camará fez o bis na partida colocando a equipa da Lagoa a vencer por 0-3. Contudo a equipa da casa ainda reduziu para 1-3 e acabou por chegar aos 2-3 à pasagem dos 94 minutos do encontro.

Segundo André Branquinho, “depois do 1-3 a equipa perdeu alguma organização e manutenção da posse de bola”, assumindo que a equipa adversária acabou por fazer uma boa recuperação no segundo tempo, enquanto o Operário teve oportunidades para dilatar o resultado mas acabou por não conseguir.

Como objetivo na prova rainha do futebol português, a equipa da Lagoa quer chegar o mais longe possível, ficando a aguardar o sorteio da 3ª eliminatória para saber qual será o próximo adversário.

DL/ foto (c) Henrqiue Barreira

Share

Operário empata a três bolas em Loulé

A equipa do Clube Operário Desportivo empatou em Loulé, este domingo, a três bolas, em jogo da 4ª jornada do Campeonato de Portugal.

Na partida referente à Série E, o Operário ainda esteve a vencer por 0-2 o Louletano mas, no segundo tempo, a equipa da casa deu a volta ao resultado. Reduzido a 9 unidades a equipa da Lagoa ainda chegou ao 3-3, saindo desta ª jornada com mais um empate.

O Operário soma o quarto empate, somando 4 pontos na tabela classificativa da prova.

 

Share

Operário desloca-se a Almada na 1ª Eliminatória da Taça de Portugal

Este fim de semana há jogo da Taça de Portugal.

Nesta 1ª Eliminatória o Operário irá viajar até Almada para defrontar o Charneca Caparica, equipa da AF de Setúbal.

O encontro está marcado para o próximo domingo, dia 3 de setembro.

Recorde-se que a primeira eliminatória da Taça de Portugal Placard, em futebol, da época 2017/18, arranca já este domingo, sendo que nesta fase da prova estarão envolvidos 120 clubes – 70 do Campeonato de Portugal e 41 dos campenatos distritais, assim como os vencedores das taças distritais e os segundos classificados dos Campeonatos Distritais convidados (de acordo com o Art.º 9.º do regulamento da Taça de Portugal Placard).

Os clubes da Ledman Liga Pro integram a prova na segunda ronda. Os clubes da Liga NOS entram na Taça de Portugal Placard à terceira jornada. Participam na prova um total de 153 clubes.

Nesta primeira eliminatória as equipas açorianas estão integradas na Série G.

Série G
CD Rabo Peixe (distrital) – SC Ideal
SC Praiense – FC Vale Formoso (Ponta Delgada) (distrital)
UD Alta Lisboa (distrital) – FC Flamengos (distrital)
Charneca Caparica FC (distrital) – Clube Operário Desportivo
Casa Pia AC – CD Pinhalnovense
Vitória FC (Horta) (distrital) – Amora FC (distrital)
CO Montijo – SC Lusitânia
GD Recreativo Canaviais (distrital) – SC Guadalupe

Share

Operário empata na segunda jornada em Montijo

Na segunda jornada do Campeonato de Portugal, o Operário deslocou-se até ao Montijo para defrontar o Olímpico local.

No encontro da Série E, os fabris abriram o ativo ao fechar do pano da primeira parte, através de Ruizinho, seguindo para a segunda segunda metade do encontro em vantagem no marcador.

Aos 20 minutos da partida o Olímpico empatou através de Cami, o melhor marcador da época passada, que saltou do banco, e no primeiro minuto em campo, fez o empate.

Os da casa acabaram por sufocar os fabris após o empate, mas a equipa da Lagoa foi sabendo aguentar a pressão, mantendo o seu ritmo de jogo e tudo fez para chegar ao segundo golo.

A cinco minutos dos noventa regulamentares, os da casa ficaram reduzidos a dez, por expulsão do capitão Marcelo, que agrediu Dani numa disputa de bola.

Nos quatro minutos de descontos dados pela equipa de arbitragem o Operário ainda tentou chegar ao golo mas a partida terminou mesmo com o empate a uma bola.

Por outro lado, no outro encontro desta jornada, o Ideal, a outra equipa açoriana nesta série, empatou a zero na receção ao Olhanense.

DL

Share