Categoria: Futebol Profissional

André Branquinho reage às críticas sobre a carreira do Operário nesta época (CA)

A carreira do Operário neste Campeonato de Portugal de futebol não tem sido famosa. Apenas uma vitória, 4 empates e 4 derrotas, com 9 golos marcados e 18 sofridos. Os 7 pontos colocam a equipa na 13.a posição na série “E” entre 16 clubes. Está em zona de descida e logo num ano em que baixam 6 equipas. Os sócios e os adeptos do Operário não estão habituados a este cenário. Ao longo das últimas 10 épocas, pelo menos, têm visto a equipa sempre bem classificada e sempre na luta pela subida de divisão.

Depois de Francisco Agatão, tem sido André Branquinho o responsável técnico pelos feitos. Estava o treinador na mó de cima. Agora é criticado, principalmente nas redes sociais, esta grande arma que é utilizada por muitos cidadãos para manifestarem a opinião e a ira. No contacto de antevisão sobre o importante jogo desta tarde com o Estrela de Vendas Novas, começamos por perguntar como André Branquinho tem lidado com as críticas, já que não têm sido habituais.

De uma forma muito tranquila e consciente porque a vida dos treinadores é feita pelos resultados alcançados. Os adeptos têm o direito a criticar e a opinar, mas pecam por defeito as que surgem dos que não são sócios do clube. Os adeptos que são sócios têm voto na matéria e temos de os ouvir quando estão insatisfeitos. Mas, por outro lado, precisamos que ajudem o clube. Toda a gente tem direito à opinião, agora é preciso sabermos filtrar porque há opinião boa e há opinião que nem vale a pena ler.

Para mim é muito simples. Ao longo da minha vida, até aos 27 anos de idade, morei ao lado de uma salsicharia e nunca opinei sobre a forma de fazer morcelas e chouriços porque não percebo nada daquilo. Quero com isso dizer que a maioria das opiniões dos adeptos é igual àquela que tinha sobre o trabalho do talhante em preparar os produtos na salsicharia.

Tudo isso faz parte do futebol. Os médicos, os advogados e as pessoas de outras categorias profissionais opinam sobre o futebol. Nós, os treinadores, não podemos opinar sobre advocacia, nem medicina ou turismo porque não somos licenciados na matéria.

Frente ao Estrela de Vendas Novas não pode o Operário desperdiçar a oportunidade de ganhar a uma equipa que só venceu uma vez e que tem menos 1 ponto?
É verdade. A nossa ambição passa por vencer a próxima partida. Sabemos que não estamos numa posição favorável, não é aquela que gostaríamos de estar.

Como treinador estou tranquilo. Sei muito bem para onde queremos ir, sei o caminho que estamos a atravessar, sei do processo para a equipa assimilar as minhas ideias e que os jogadores ainda não tin-giram aquilo que eu pretendo. Estamos a caminhar para melhorar e vamos continuar com a ambição de vencer o próximo jogo, numa forma tranquila e consciente de que estamos a fazer tudo para mudar o rumo dos acontecimentos.

O objectivo passa por vencer um adversário directo, procurando distanciarmo-nos somando pontos para subirmos alguns lugares na tabela classificativa. Acreditamos que no final da época iremos atingir os objectivos.

Está à procura de mais algum elemento para a equipa, principalmente para o setor defensivo, que tem sido muito alterado devido às lesões?
Os plantéis das equipas estão sempre abertos até Fevereiro, principalmente nesta divisão. Só para as equipas das provas profissionais é que fecharam, reabrindo durante o mês de Janeiro. Estamos sempre abertos e à procura de boas soluções a nível qualitativo e a nível financeiro para o clube, porque temos um orçamento muito rigoroso. Se surgir uma oportunidade muito bem. Como sempre digo, o plantel está sempre aberto para entradas e para saídas.

(Correio dos Açores)

Share

Operário sofre pesada derrota em jogo de eficácia zero

O Operário sofreu uma pesada derrota na oitava jornada da Série E do Campeonato de Portugal e continua sem conseguir ganhar na Lagoa esta temporada, situação inédita na história recente do clube. 
Inéditos são também os números finais da derrota dos lagoenses mas são reflexo da incapacidade que a equipa denota em dois aspetos: defensivamente os fabris são muito vulneráveis, enquanto no ataque há demasiada previsibilidade nos seus movimentos. Acresce a tudo isso a falta de organização coletiva que resulta da grande inexperiência dos seus atletas. 
A história deste encontro não é difícil de se contar e resume-se, quase em exclusivo, à seguinte frase: o Operário teve mais posse de bola, enquanto o Pinhalnovense mostrou uma tremenda eficácia. 
A vantagem de 0-3 ao intervalo dos forasteiros resultou de igual número de transições do Pinhalnovense, equipa constituída por jogadores já com larga experiência desta competição, jogadas onde foi explorada a descompensação defensiva dos lagoenses e alguma falta de agressividade na disputa dos lances. 
Parecendo pesada, a derrota parcial ao intervalo era justificada pela forma bastante objetiva como o Pinhalnovense soube enfrentar o jogo, não se importando de ceder a bola ao adversários e aplicando velocidade – e eficácia – nas transições que resultaram de perdas de bola a meio-campo. 
André Branquinho tentou despertar a equipa com a entrada de Kim mas, curiosamente, a formação entrou amorfa, aproveitando o Pinhalnovense que acabou por desperdiçar três oportunidades de golo em 10 minutos. 
Só a partir do minuto 55 é que os fabris de facto regressaram do descanso e logo com a melhor (e única) ocasião de golo do encontro: Maringá defendeu o desvio de cabeça de João Brum e, no chão, o guarda-redes do Pinhalnovense evitou a recarga de Kim.
Os fabris galvanizaram-se com o lance mas ficaram-se por isso mesmo, ao passe que o Pinhalnovense ainda conseguiu dilatar a vantagem, com destaque para o hat-trick de Diego. 

In: AO

Share

Operário vence em Moncarapacho

A equipa principal do Operário alcançou, este domingo, dia 22 de outubro, a sua primeira vitória no Campeonato de Portugal.

Na partida referente à 7ª jornada da Série E, os fabris deslocaram-se até ao Algarve, para defrontar o Moncarapachence, tendo vencido a partida por 1-2.

“Foi uma vitória justa, principalmente pela ‘excelente’ segunda parte”, adiantou, ao Jornal Diário da Lagoa, o treinador dos fabris.

Segundo André Branquinho, a primeira parte foi mais dividida, onde o adversário chegou primeiro ao golo, naquela que considerou ser uma das poucas chances que teve.

O Operário foi para o intervalo a perder pela margem mínima mas, segundo o treinador lagoense, nessa altura a equipa da Lagoa já merecia um golo.

A segunda parte foi completamente diferente onde, apenas aos 35 minutos do segundo tempo, o adversário conseguiu chegar á baliza fabril. “Estivemos os primeiros 35 minutos da segunda parte no meio campo ofensivo, com a equipa teve uma atitude muito forte, com uma ambição enorme de querer vencer, forçamos o erro do adversário, fizemos circular a bola em toda a largura do terreno, e acabamos por ser premiados pela vitória com dois golos já no final da partida”, explicou André Branquinho.

O técnico referiu ainda que a vitória do Operário poeria ter sido conseguida mais cedo, mas do outro lado estava também um adversário forte, com jogadores de muita qualidade.

A equipa ganha assim um novo ânimo, com índices de confiança maiores. André Branquinho espera agora conseguir entrar numa série de vitórias até porque, segundo recorda, este é um campeonato muito difícil e muito competitivo. “Há muitas equipas em igualdade pontual, será até à última jornada, onde todas as vitórias e todos os pontos serão importantes”.

Ao fim da sétima jornada o Operário ocupa 9ª posição e, a par de outras 4 equipas, tem sete pontos.

No próximo dia 29 de outubro, o Operário recebe, na Lagoa, o Pinhalnovense, em jogo da 8ª jornada.

Fonte: DL

Share

Operário perde em Olhão por 0-1

A equipa do Operário deslocou-se a Olhão para defrontar os locais em jogo da 5ª jornada do Campeonato de Portugal, acabando por perder a partida pelo margem mínima.

A equipa da Lagoa acabou por sofrer a primeira derrota na prova nesta deslocação ao Algarve, com um golo apontado no reinício do encontro disputado este sábado.

A formação açoriana não jogava em Olhão desde a temporada 2002/03, quando foi derrotada na altura por 2-0 em jogo a contar para a 19.ª jornada da Zona Sul da antiga 2.ª Divisão B.

Apesar do resultado o treinador do Operário mostrou-se agradado pela exibição da sua equipa, que considerou como a melhor da época, embora não se tenha traduzido em pontos. André Branquinho disse estar satisfeito pela postura e organização demonstrada em campo pelos seus jogadores.

Após o golo no reinício da partida, o Operário ainda tentou reagir à desvantagem no marcador, mas a verdade é que, do outro lado, estava uma boa equipa, e os fabris acabaram por não conseguir chegar, no mínimo, ao empate, sendo o resultado justo no entender do treinador fabril

Após o encontro de hoje, André Branquinho, considera que a equipa do Operário vai mostrar mais e melhor futebol nas próximas jornadas, “a equipa vai melhorar, vai evoluir, acredito que a equipa vai crescer e vamos alcançar os resultados pretendidos”, adiantou o técnico ao Jornal Diário da Lagoa, no final da partida deste sábado.

In: DL

Share

Operário está na 3ª eliminatória da Taça de Portugal Placard

A equipa do Clube Operário Desportivo garantiu a passagem à 3ª eliminatória da Taça de Portugal Placard, com a vitória por 2-3 frente ao S.C. Guadalupe.

No encontro disputado na ilha da Graciosa, os fabris foram mais fortes tendo mesmo ido para intervalo a vencer por 0-2, com golos de Chileno e Camará, embora, segundo André Branquinho, pelo trabalho realizado pelos seus jogadores, o resultado poderia ter sido ainda mais dilatado.

No segundo tempo Camará fez o bis na partida colocando a equipa da Lagoa a vencer por 0-3. Contudo a equipa da casa ainda reduziu para 1-3 e acabou por chegar aos 2-3 à pasagem dos 94 minutos do encontro.

Segundo André Branquinho, “depois do 1-3 a equipa perdeu alguma organização e manutenção da posse de bola”, assumindo que a equipa adversária acabou por fazer uma boa recuperação no segundo tempo, enquanto o Operário teve oportunidades para dilatar o resultado mas acabou por não conseguir.

Como objetivo na prova rainha do futebol português, a equipa da Lagoa quer chegar o mais longe possível, ficando a aguardar o sorteio da 3ª eliminatória para saber qual será o próximo adversário.

DL/ foto (c) Henrqiue Barreira

Share

Operário empata a três bolas em Loulé

A equipa do Clube Operário Desportivo empatou em Loulé, este domingo, a três bolas, em jogo da 4ª jornada do Campeonato de Portugal.

Na partida referente à Série E, o Operário ainda esteve a vencer por 0-2 o Louletano mas, no segundo tempo, a equipa da casa deu a volta ao resultado. Reduzido a 9 unidades a equipa da Lagoa ainda chegou ao 3-3, saindo desta ª jornada com mais um empate.

O Operário soma o quarto empate, somando 4 pontos na tabela classificativa da prova.

 

Share